O Impecável
"Um homem que dorme tem em círculo à sua volta o fio das horas, a ordem dos anos e dos mundos. Consulta-os instintivamente ao acordar, e neles lê num segundo o ponto da terra que ocupa, o tempo que decorreu até ao seu despertar; mas as respectivas linhas podem misturar-se, quebrar-se." Marcel Proust, Em Busca do Tempo Perdido



Os Impecáveis









Blogues obrigatórios

A arte da fuga
Adufe
Almocreve das Petas
Blasfémias
Bloguitica
Casa dos Comuns
Causa Nossa
Cum grano salis
Grande Loja do Queijo Limiano
Impostos?
Irreflexões
Muito à frente
O Acidental
O Insurgente
O Jansenista
Peço a Palavra
República Digital
Tabacaria
Tugir
Uma Campanha Alegre


Leituras recentes

Moral de Estado?
Continuação
«Quer-se um bom sapateiro: não há um bom sapateiro...
Lá como cá
Livros à distância de um download.
E Então?
Tempos Difíceis
Espiral da história
Memories
Resolver a questão



Arquivos

09/01/2004 - 10/01/2004
10/01/2004 - 11/01/2004
11/01/2004 - 12/01/2004
12/01/2004 - 01/01/2005
01/01/2005 - 02/01/2005
02/01/2005 - 03/01/2005
03/01/2005 - 04/01/2005
04/01/2005 - 05/01/2005
05/01/2005 - 06/01/2005
06/01/2005 - 07/01/2005
07/01/2005 - 08/01/2005
08/01/2005 - 09/01/2005
09/01/2005 - 10/01/2005
10/01/2005 - 11/01/2005
11/01/2005 - 12/01/2005
01/01/2006 - 02/01/2006
03/01/2006 - 04/01/2006
04/01/2006 - 05/01/2006
10/01/2006 - 11/01/2006
11/01/2006 - 12/01/2006
02/01/2007 - 03/01/2007


Contacto



Technorati search


Site Meter

on-line

|


sexta-feira, julho 01, 2005

Rating de Portugal


A República de Portugal sofreu um downgrade da notação concedida pela agência de rating Standard & Poor´s. De seguida, surgiram vários artigos na imprensa dita especializada que faziam grande alarido que os portugueses é que vão ver as suas taxas de juros aumentadas. Vai ser as taxas de crédito à habitação, dos empréstimos todos, etc.

Não vejo como, pelo menos no curto prazo. O argumento avançado de que os bancos automaticamente quando vão pedir dinheiro emprestado lá fora também serão penalizados e estes vão repercutir no consumidor final é uma pura ficção. Aliás, este argumento apenas me faz prever que assim os bancos podem arranjar uma justificação para poderem explicar possíveis razões para aumentos de juros, podem sempre dizer "nós não podemos fazer nada. A culpa é do governo. Com a descida do rating os nossos custos aumentaram e agora, olha, temos de subir as taxas de juro...".

Digo eu, no meio da minha ignorância, "então e os bancos não têm rating eles mesmos? o rating deles também baixou? não vi nada! e o rating do BCP, BES, BPI é igual ao de Portugal? eles têm notações de rating independentes da da República e são avaliados consoante o seu desempenho. Somente no caso de serem iguais ao da República e com o Sovereign ceiling é que isso aconteceria (em princípio não deve haver empresas num país com melhor risco de crédito que o próprio pais). E, mesmo que houvesse downgrade, este foi bastante relativo, o outlook já era negativo e a repercussão nas taxas de juro é bastante reduzida.

Agora, eu ouvi comparações com o caso da Argentina!!! Isso é puro disparate... Não se deve esquecer que a Argentina anunciou que não ia pagar o seu serviço de dívida, os mercados financeiros ficaram a perceber que nunca iam ver o dinheiro deles!! e esta tinha o câmbio fixo em relação ao dólar numa altura em que isso já era incomportável!!

Gostam de alertar e de assustar para preencher páginas de jornal... Se quero comprar o 24 horas compro-o, não preciso do DE!!
Churchill | sexta-feira, julho 01, 2005 |

|
A ler

Patrick Gaumer, Le Larousse de la bande dessinée



Correspondence Between Stalin, Roosevelt, Truman, Churchill and Attlee During World War II



Dietrich Schwanitz, Die Geschichte Europas



Dietrich Schwanitz, Bildung - Alles war man wissen muss



Niall Ferguson, Virtual History: Alternatives and Counterfactuals



Niall Ferguson, The House of Rothschild: Money's Prophets 1798-1848



Niall Ferguson, House of Rothschild: The World's Banker, 1849-1998



Joe Sacco, Safe Area Goradze



Joe Sacco, Palestine



Hugo Pratt, La Maison Dorée de Samarkand



John Kenneth Galbraith, The Affluent Society (Penguin Business)



Mary S. Lovell, The Sisters - The Saga of the Mitford Family (aconselhado pelo Jansenista)



Charlotte Mosley, The letters os Nancy Mitford and Evelyn Waugh (aconselhado pelo Jansenista)



Ron Chernow, Alexander Hamilton



Henry Fielding, Diário de uma viagem a Lisboa



AAVV, Budget Theory in the Public Sector



JOHN GRAY, Heresies: Against Progress and Other Illusions



CATHERINE JINKS, O Inquisidor, Bertrand, 2004



ANNE APPLEBAUM, Gulag: A History of the Soviet Camps, Penguin Books Ltd, 2004



António Castro Henriques, A conquista do Algarve, de 1189 a 1249. O Segundo Reino



Philip K. Dick, À espera do ano passado



Richard K. Armey e Dick Armey, The Flat Tax: A Citizen's Guide to the Facts on What It Will Do for You, Your Country, and Your Pocketbook



Jagdish N. Bhagwati, In Defense of Globalization, Oxford



Winston Churchill, My Early Life, Eland




A ver

Eraserhead (um filme de David Lynch - 1977)


Eraserhead (1977) Posted by Hello

Nos meus lábios, JACQUES AUDIARD, 2001



A Tua Mãe Também, ALFONSO CUARON, 2002



Pickup on South Street, SAMUEL FULLER



The Bostonians, JAMES IVORY (real.)



In the Mood for Love, KAR WAI WONG, 2001



Powered by Blogger